50 razões para não casar com um fotógrafo

17/01/2012 § 30 Comentários

                                     Foto: Martin Gommel.

Estava a toa no Facebook e alguma pessoa compartilhou uma lista super interessante feita pelo Clicio Barroso contando 50 razões para não casar com um fotógrafo. Gostei da maioria dos itens e espero que vocês também gostem. Vale a pena ler até o final.

1. Fotógrafos acordam antes nascer do sol para não perder a “hora mágica da luz”.
2. Fotógrafos não frequentam happy hours para não perder a “hora mágica da luz”.
3. Fotógrafos não dão carona para seu casal amigo pois o banco de trás sempre está cheio de equipamentos.
4. Fotógrafos não fazem viagens curtas nos fins de semana pois o porta-malas sempre está cheio de equipamentos.
5. Quando fotógrafos falam em diafragma, não é em sexo seguro que eles estão pensando.
6. Quando fotógrafos falam em longa exposição, não é em praia que eles estão pensando.
7. Fotógrafos vivem cercados de modelos lindas, sensuais e mais bonitas que você.
8. Quando olham para seu rosto maquiado, sempre acham que o brilho na testa poderia ser amenizado.
9. Quando olham para seu cabelo, sempre acham que um ventilador poderia “dar um movimento mais dinâmico”.
10. Quando olham para sua roupa, sempre chamam a produtora de moda para “ajeitar o caimento”.
11. Fotógrafos são egoístas e egocêntricos.
12. Fotógrafos ganham pouco, bem pouco.
13. Fotojornalistas vão para guerras: regiões de conflito e desastres, e eles nem sempre voltam.
14. Fotógrafos odeiam fotógrafos.
15. Fotógrafos só sabem falar de fotografia.
16. Fotógrafos tem fetiches estranhos com equipamentos.
17. Acham que seu (deles) zoom é sempre maior que o dos outros.
18. Citam nomes estranhos, que ninguém conhece. Gurski. Scheimpflug. László Moholy-Nagy.
19. Fotógrafos usam coletes esquisitos, cheio de coisas penduradas, e não é para pescar.
20. Usam tênis all star com qualquer roupa. Até no dia do casamento.
21. Viram psicopatas quando você diz que fotografia é apenas apertar o botão.
22. Retocam todos os retratos que fazem do seu rosto.
23. Fazem montagem com suas fotos. O corpo sempre é de uma gostosona.
24. Passam mais tempo olhando para sua foto retocada no computador do que olhando para você.
25. Fotógrafos não dormem; trabalham, ingerem cartões, editam, retocam, becapeiam e costuram 360s.
26. Não aceitam críticas, nunca. Defendem a foto ruim citando Barthes, Flusser e Sontag.
27. Fotojornalistas tem pautas no fim de semana. Todos os fins de semana.
28. Fotógrafos trabalham no Natal, no Reveillon, no verão e no inverno.
29. Quando vão para a praia, ficam fotografando o recheio dos biquínis alheios.
30. Quando vão para a praia, ficam fotografando os amigos surfistas.
31. Quando bebem, olham pela latinha de cerveja como se fosse uma objetiva. E gostam do que veem.
32. Fotógrafos não fazem seguro de equipamento porque são machos, são roubados e vão a falência.
33. Fotógrafos não levam seguranças para fotos externas porque são machos, são roubados e vão a falência.
34. Fotógrafos não contratam assistentes para carregar o equipamento de meia tonelada porque são machos, tem problemas sérios de coluna e passam a noite em claro, gemendo. E não é sexo.
35. Quando saem, vão para exposições, museus e festivais, para falar mais de fotografia.
36. Quando você o leva ao cinema, enquanto você chora com o enredo romântico, ele fica analisando a luz, o enquadramento, a maquiagem, o figurino. Nunca sabe a que filme assistiu…
37. Quando ele te leva ao cinema, é para ver documentárias sobre fotografia, tipo “a vida e obra de Eadweard J. Muybridge “.
38. Quando saem, te levam para lugares em que servem vinho quente e canapés frios, lotados, onde você não conhece ninguém, e chamam isso de “network”.
39. Passam o dia inteiro online no celular G3, checando as redes sociais e os e-mails. Chamam isso de “network”.
40. Quando dormem, acordam de madrugada para checar o e-mail, o Witter e o facebook.
41. Como acordaram de madrugada, aproveitam para postar umas fotinhos novas no blog.
42. Como postaram fotinhos novas no blog, aproveitam para divulgar no twitter, facebook e na mailing list.
43. Quando você acorda de manhã, ele está voltando para a cama, acabado.
44. quando você liga para irem almoçar, ele está acordando, mas não vai almoçar pois tem um job urgente.
45. Fotógrafos não olham, enxergam. Mas só o que querem enxergar.
46. O importante não é você estar bonita em suas fotos, mas sim o “olhar diferenciado do artista”.
47. O importante não é você estar bonita em suas fotos, mas sim “o bokeh da 165mm f:2.8″.
48. Fotógrafos só fotografam a própria mulher nua se ela estiver grávida. Bem grávida.
49. Fotógrafos são viciados em tecnologia, e todo o dinheiro da família vai parar na BH. e na Apple Store.
50. Quando você está deprimida, solitária, ele sempre se lembra de te dar um presente: um curso de fotografia.

Muito legal e diferente a lista, né? E aí, vocês casariam com um fotógrafo? :P

Giovanna Varga

What’s In Your Bag Photographic: Luiza Prado.

16/01/2012 § 17 Comentários

Quem nunca se deparou com um WIYB em blogs de moda mostrando as bolsas e itens que as leitoras (ou até mesmo as blogueiras!) carregam no dia-a-dia? Acho super bacana essa tag pelo fato de que através dos itens, podemos relacioná-los à personalidade da pessoa e arriscar um palpite sobre como ela se organiza diariamente.

Resolvi fazer uma adaptação do tradicional “What’s In Your Bag” e bastou acrescentar a palavra “Photographic” para ficar com a cara do blog e dos amantes da fotografia. Já estou com essa ideia há tempos e cheguei a comentar – antes do Natal, porém estou viajando e só hoje tive tempo de botá-la em prática e escrever esse post – com vários conhecidos fotógrafos sobre a mesma, e não é que a Luiza Prado me mandou um e-mail um dia depois que eu comentei com ela? Imaginem só a minha felicidade ao ler o e-mail!

A tag pode parecer meio besta de início por alguns pensarem que todos os fotógrafos levam as mesmas coisas na bolsa, mas acredito que ao decorrer dos posts vocês verão o quão diversificado é a bolsa de cada fotógrafo. Digo isso pois nunca imaginei que algum fotógrafo levasse alguns itens que a Luiza leva, e por aí vai. O bom de tudo isso é o fato de tirarmos ideias e nos inspirarmos na bolsa de cada um deles, sempre acrescentando algo de bom para nós mesmos. Sem mais delongas, vamos ver o que a queridíssima da Luiza leva em sua bolsa.

“Livro ou revista, não importa, eu sempre tenho na bolsa. Ainda mais aqui em SP que a gente fica umas duas horas no onibus, né? Sempre válido.”

“Beer – Muitíssimo importante, relaxa e é uma boa opção neste calor.”

“Minhas lentes! Na foto uma 50mm 1.8 e a do lado é uma 35mm 1.2, ambas da Canon.”

“Celular e um fone, nunca podem faltar.”

“Figurinos, panos e afins.”

 “Canivete butterfly – útil para eventualidades.”

“Água, água de coco e suco. Líquidos em geral, pra você e pra modelo.”

“E o mais importante: a câmera. Essa aí é a Canon ti1.”

Como a Lu fotografa em lugares abandonados, ela acaba não levando equipamento de luz, um porque geralmente não tem energia e outro porque é muito peso pra carregar e ela sempre se vira sozinha. Às vezes ela leva um rebatedor, só não o fotografou pois não sabia aonde ele estava.

Estava conversando com a Lu enquanto escrevia este post e ela me contou que adquiriu uma nova câmera (a Canon 5d! Demais, né?) esses dias. Além da 5d, ela acabou comprando uma Tlr fexaret e uma super 8 da chinon, essas duas raridades lindíssimas da foto abaixo:

Para saber mais sobre a Luiza e seus trabalhos, basta entrar em seu site oficial. Ela também tem uma página no Facebook e está sempre conectada no Twitter.

Gostaram da ideia da nova categoria? Aprovaram? Tem alguma sugestão para melhorá-la? Para quem estiver interessado em participar dessa nova tag é só falar comigo no Facebook ou mandar um e-mail para giovannavarga@yahoo.com.br.

Giovanna Varga

Projeto Caras e Bocas

22/12/2011 § 16 Comentários

É impossível navegar pelo Flickr e não encontrar coisas novas e fotos maravilhosas. Como de costume, estava dando uma olhada nas galerias dos meus contatos e encontrei um projeto super diferente, divertido e original criado pela fotógrafa Giane Santos.

A intenção da Gi é fotografar as pessoas como elas realmente são, buscando uma careta divertida que represente a espontaneidade da pessoa fotografada. Seu maior objetivo com esse projeto é se divertir e divertir os outros. Não tem coisa mais prazerosa, né?

Como nem tudo são flores, Giane já se deparou com alguns “nãos” na hora em que ela pediu para fotografar algumas pessoas – que no caso eram tímidas. Mas, como uma boa pessoa insistente e divertida, Gi fez caretas lindas e disse “Óh, é só uma bela careta!” e elas acabaram topando e fotografaram.

No começo, a Gi achou que ninguém toparia fotografar fazendo caretas, mas se enganou e ficou feliz ao saber que a aceitação foi generalizada.

O projeto ainda está no começo, mas para ver mais fotos basta visitar a Galeria do Flickr da Giane Santos. E por último, mas não menos importante, não poderia esquecer de dizer que a Gi usou a cinquentinha (♥!) para esses retratos. Não vejo a hora de ter a minha!

Espero que tenham gostado do projeto e, caso tenham algum projeto do Flickr ou do 500px para compartilhar comigo, basta mandar nos comentários.

Giovanna Varga

Fotógrafo retrata Pequim através da silhueta dos moradores da cidade

19/12/2011 § 31 Comentários

O mundo fotográfico não tem fim em relação à criatividade. Estava navegando pela internet e me deparei com fotografias magníficas e de uma criatividade e visão impecáveis.

Para mostrar que uma cidade é feita de pessoas e construídas por suas atitudes, o fotógrafo inglês Jasper James utilizou a cidade de Pequim como objeto para tornar possível a sua ideia brilhante. Para isso, ele fotografou a cidade através das silhuetas dos moradores locais, em cenas naturais e espontâneas.

A série de imagens foi denominada “City Silhouette”. O profissional não especificou os recursos gráficos e digitais que utilizou para produzir os retratos. Fica aqui aquela curiosidade de saber como ele fez esses retratos tão bonitos!

Para ver mais fotos deste projeto basta clicar aqui.

Giovanna Varga

Recomendo – Flickr: Danielle Kleinubing.

06/12/2011 § 22 Comentários

A última indicação vinda do Flickr foi a do Bruno Raffi, um brasileiro com belíssimas fotografias que são capazes de nos deixar sem palavras. Percebi através dos comentários que muitas pessoas gostaram da indicação e curtiram as fotos do Bruno, então resolvi indicar mais uma galeria brasileiríssima que encanta diversas pessoas.

A Dani é uma paranaense de 18 anos que nasceu na cidade de Assis. Chateubriand – interior do Paraná, e atualmente mora na cidade de Toledo (a mesma que a do Bruno, lembram?). Além de ter como hobby a fotografia, Danielle trabalha no comércio dos seus pais, ficando no caixa e controlando o sistema bancário.

Sua paixão pela fotografia acendeu em meados de 2010. Nesse período, ela comprou a Canon Powershot sx20is – câmera responsável pela trajetória que Dani começou a traçar através de fotografias de tudo o que ela via pela frente. Foram clicks e mais clicks com a Canon, até que ela resolveu comprar uma câmera melhor, e sua escolha foi a Canon EOS Rebel t2i, sua pretinha. Foi com ela que Dani fez alguns trabalhos fotográficos de deixar qualquer um boquiaberto.

A Dani possui três lentes: a do kit 18-55, uma 50mm 1.8 – que agora está estragada – e uma 85mm 1.8. Apesar dela adorar todas, para fazer auto-retrato a sua preferida é a 50mm. Dependendo da foto ela acaba usando a do kit, por ser aberta e fácil de conseguir foco. Agora, para sair para fotografar para fotografar a natureza ou pessoas, a 85mm não sai de jeito nenhum de sua câmera.

A Dani começou a fotografar de tudo um pouco, até encontrar o que a encantava e desse mais prazer. Ela sempre curtiu fotografar pessoas, inclusive adorava fotografar suas amigas com qualquer câmera – fosse de celular ou digital – sempre fingindo ser um ensaio profissional (Quem nunca fez isso que atire a primeira pedra!). Depois que comprou a Powershot, ela saia com os amigos e acabou aprendendo o lado bom de fotografar a natureza, porque para ela, são momentos que deixamos registrados. Mesmo assim, sua paixão ainda são as pessoas: “Não há nada mais gratificante do que você fotografar, editar e mandar para a pessoa o teu trabalho e ela adorar”, disse Dani.

É impossível não se auto-questionar quem são as inspirações fotográficas dela vendo essas fotos tão lindas. A Dani olha num todo: observa o olhar de cada um que ela curte e pega como inspiração para ela, resultando nesses clicks incríveis. Perguntei à ela 3 inspirações (tanto nacionais quanto gringas) e nada mais nada menos do que Larissa Grace, Anastasia Volkova e Anna Theodora foram citadas. A Dani admira muito o olhar da Larissa, ainda mais porque a Lari também se autorretrata, assim como ela. Já conhecia o trabalho da Anastasia e da Larissa (sempre fui fã delas!), e adorei conhecer o trabalho da Anna Theodora, que por sinal é maravilhoso!

Essas crianças lindas das fotos acima são primas da Dani, que adoram ser fotografadas. Sempre que vai na casa das primas, ela não pode esquecer de levar a câmera se não sai briga! Lindas, né?

A Mandy, sua cachorrinha, tem 11 meses e nasceu no dia 11 de janeiro. Essa coisa fofa já foi roubada duas vezes, dá pra acreditar? Na primeira vez ela tinha 4 meses e foi por descuído, já que ela passou do portão e a mulher ao invés de avisar a família da Dani, pegou a Mandy e a levou embora para outra cidade. Porém, graças a cartazes uma pessoa a encontrou e informou à respectiva dona. A outra foi com intenção, já que o cara a pegou pelo portão, mas graças novamente a cartazes conseguiram recuperá-la. Menos de um ano de vida e haja história para contar, Dona Mandy!

Uma característica marcante no Flickr da Dani são os autorretratos. Ela sempre adorou posar e eles surgiram por experiência, porém sempre teve – e ainda tem – vergonha de ser fotografada. Eis que ela comprou a Powershot e aprendeu a usá-la para se auto-fotografar, descobrindo que é isso que ela mais ama: se expressar em fotografias. Certo dia, ela fez um contra meio ousado e decidiu postar no Flickr, e o resultado a deixou muito feliz, pois foi através de críticas construtivas e elogios que a fizeram querer se aprofundar mais no assunto.

Esse sentimento de expressar o que ela sente através da expressão corporal só é bom quando as pessoas que vêem entendem o que ela está querendo representar, e a Dani tem uma amigo que sempre entende seus autorretratos: o Lincoln Koga, fazendo com que ela o admire bastante por esse e outros fatores. Muitos devem achar que ela faz os autos para se mostrar, mas o que nem todos sabem é que é apenas um estilo de fotografia que muitas pessoas hoje em dia curtem para se expressarem melhor. Um dos motivos da maioria dos autorretratos da Dani serem privados é por nem todos entenderem o estilo dela de fotografar, levando-a a deixar aberto apenas para quem ela sabe que pode compreender.

A Dani ama fotografia, mas acredita que na cidade onde ela mora não está valendo a pena investir nisso, pois estão surgindo muitos “fotógrafos e fotógrafos”, parecendo que estão classificando a fotografia como modinha. Apesar disso, ela gostaria muito de se profissionalizar em fotografia, nem que para isso tenha que ir para outra cidade! (Concordo com ela e fica tranquila que não é só aí em Toledo que acontece isso, Dani!)

Essa foto foi tirada num making off na qual o Bruno, amigo da Dani, estava fotografando. Legal saber que dois admiradores e praticantes da arte de fotografar são grandes amigos, né?

Gostaram da indicação de hoje? Vocês podem encontrar a Dani nas seguintes redes sociais: Flickr, Twitter e Facebook.

Giovanna Varga

Você é um verdadeiro fotógrafo?

29/11/2011 § 23 Comentários

Para protestar contra a todos aqueles que têm um iPhone e uma conta no Flickr e saem falando que são bons fotógrafos, Peter Phun fez uma lista de 21 situações que provam que alguém pode ser considerado um verdadeiro fotógrafo. Encontrei a lista traduzida nesse blog (que por sinal eu adorei!) e resolvi compartilhar com vocês. Confira!

                                                                        Foto por: Tomatito Rodriguez

1. Seus amigos começam a entregar as câmeras para você nas reuniões e festas quando eles pretendem guardar uma boa fotografia.

2. Você não gasta mais tanta bateria porque escolhe melhor o que deseja fotografar.

3. Seus filhos não reclamam mais quando são fotografados porque você faz isso com mais agilidade.

4. O vendedor da sua loja favorita deixa você manusear a mercadoria que geralmente fica trancada atrás das caixas de vidro.

5. Você entende a diferença entre bokeh e um arranjo de flores.

6. Uma mulher maravilhosa com uma SLR digital fica perto de você – e você só consegue observar a câmera e qual tipo de lente ela tem.

7. Você se concentra mais na iluminação do que em qualquer outra coisa quando fotografa.

8. Você ri, dissimuladamente, de quem fotografa usando iPhone ou uma point-and-shoot.

9. Os funcionários do laboratório fotográfico pedem um relatório seu para confirmar se as fotos são realmente suas.

10. O seu parente que é profissional troca algumas dicas com você.

11. Outros fotógrafos ficam te observando para ver de onde você fotografa.

12. Outros fotógrafos pedem sua opinião sobre equipamentos quando te vêm numa loja de câmeras.

13. Você começa a perceber como Hollywood não usa bem o trabalho dos fotógrafos em um filme.

14. Cada vez mais mulheres comprometidas querem ser suas amigas.

15. Você para de perguntar qual abertura e velocidade foram usadas para fazer uma foto.

16. Algumas pessoas fazem graça do seu colete rasgado e esfarrapado.

17. Os assuntos das suas fotografias não parecem mais com um monte de vítimas infelizes de um tiroteio.

18. Você não tem mais vergonha de carregar uma point-and-shoot – até mesmo em eventos lotados de outros fotógrafos.

19. Antes de você se impressionar com uma telefoto você quer saber qual foi a abertura maior e se ela teve estabilização de imagem.

20. O seu cônjuge para de perguntar o que tem dentro do FedEx.

21. Você percebe que superexposição tem a ver com como você mediu, e não em quantos seguidores você tem no Twitter.

E aí,  você já pode ser considerado um(a) verdadeiro(a) fotógrafo(a)?

Giovanna Varga

Genetic Portraits.

18/11/2011 § 15 Comentários

Estava navegando pela internet e me deparei com o trabalho do fotógrafo e designer canadense Ulric Collete, que brinca com as similaridades e diferenças entre membros de uma mesma família. Chamados de Genetic Portraits, a semelhança em alguns casos chega a ser surpreendente, dando a impressão de que a foto é da mesma pessoa jovem e depois velha.

                  Filha – Marie-Pier, 18 anos / Mãe – N’sira, 49 anos.

Mãe – Julie, 61 anos / Filha – Amélie, 33 anos.

Pai – Laval, 56 anos / Filho – Vincent, 29 anos.

Gêmeas – Laurence e Christine, 20 anos.

Mãe – Francine, 56 anos / Filha – Catherine, 23 anos.

Vejam só o vídeo que o Ulric produziu baseando-se na semelhança entre Francine e sua filha, Catherine.

Para ver mais trabalhos basta acessar o site dele: genetic.ulriccollette.com

Giovanna Varga